Revista Literária
   Gêneros Literários
 
 

 Página Inicial

  Teoria  Literária

  Biografias

  Colaboradores

  Publique seu livro

  Concurso literário

  Arte Visual

  Entre em contato

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

Os caminhos e desafios do escritor brasileiro

Leia mais >>

 
 

 

 

Os Gêneros literários classificam ou agrupam os textos em categorias, conforme suas qualidades formais. O termo gênero significa família, e agrupa textos dotados de características comuns. As primeiras classificações ocorreram na Grécia Antiga, por Aristóteles e Platão, em três grupos:

   Narrativo   É o relato de um enredo, que pode ser baseado em fatos ou ficcional. Nesse gênero, os fatos ocorrem em sequencia. Pode ser classificado em romance, conto, novela, crônica, entre outros. Sua principal característica estrutural é que conta com um início, um climax e um desfecho. (O Ateneu, de Raul Pompéia é um exemplo de texto narrativo).

Romance      Forma  literária do gênero narrativo que apresenta uma história completa, com temporalidade, ambientação e personagens claramente definidos. Surgiu na idade média, tendo em Dom Quixote, de Cervantes, sua principal representação.

Fábula           Texto de caráter fantástico, que não guarda nenhum compromisso com a realidade, e funde dois elementos principais: o lúdico e o pedagógico. Os personagens costumam ser animais ou objetos, para transmitir alguma lição de moral através da narrativa. (Ex Fábulas de Fontaine, algumas adaptadas por Monteiro Lobato)

Epopéia        Narrativa feita em versos, em um poema extenso, que ressalta os feitos significativos de um herói ou de um povo. (Ex: Os Lusíadas, de Camões, Ilíada e Odisséia, de Homero).

Novela           Texto narrativo com extensão menor que o romance, mais longo que o conto.  e a brevidade do conto. (Os folhetins da televisão, a rigor, deveriam ser chamados de romances televisivos, mas por influência espanhola, ficaram conhecidos como telenovelas) Ex. “O Exército de um homem só”, de Moacyr Scliar

Conto             Texto de ficção narrado na 3ª pessoa, caracterizado pela densidade e a concisão. Cria situações e personagens fantasiosos. (Machado de Assis e Clarice Lispector, são exemplos de autores que se destacaram nesse gênero).

Crônica         O termo “Crônica” deriva do grego, “Chronos”, que significa tempo. Trata-se de uma narrativa informal, que procura captar um flagrante da vida cotidiana, com linguagem breve e um toque de humor. É considerada um gênero menor, porque oscila entre a literatura e o jornalismo. Rubem Alves é um cronista brasileiro consagrado.

Ensaio           Texto curto, com uma liguagem situada entre a poesia e a didática, sem nenhuma exigência de comprovação externa. É apenas uma exposição de ideias e reflexões acerca de algum tema. (Exemplo: Ensaio sobre a tolerância, de John Locke)

  

  lírico           Nesse gênero, o autor manifesta seus sentimentos e emoções, explorando a musicalidade das palavras. O termo “Lírico” vem do latim e significa “lira”, um instrumento musical da Grécia antiga que dava melodia aos poemas da época. O foco, portanto, está no interior de quem o escreve, o eu-lírico. Classificam em:

 

Poesia           Expressão artística com foco na estética da palavra.

Ode                Texto entusiástico e melódico, (geralmente música).

Sátira             Ridiculariza uma pessoa ou situação

Hino               Exalta ou glorifica um tema (País ou religião)

Soneto           Poesia com 14 versos, (dois quartetos e dois tercetos)

Haicai            poesia japonesa, sem rima, constituídos normalmente por três versos

 

 Dramático   Começou na Grécia Antiga, provavelmente em eventos em homenagem a Dionísio. São textos escritos para serem encenados em uma peça teatral. Atualmente, é difícil diferenciar um texto dramático dos outros gêneros, devido a tendência, que se observa de transformar qualquer tipo de texto em roteiro.

 

©2002 Revista Literária                 Política de privacidade